PLAYGROUND - Nem sempre o que parece ser é...

 

Você já prestou atenção no que tem colocado no prato do seu filho?

Será que de fato aquele alimento é o que seu filho necessita?

Pois é, querido pai, nem sempre o que colocamos no prato dos nossos pequenos é o alimento de que ele realmente necessita para estar saciado e com saúde. Por isso, é importante saber a diferença entre quantidade e qualidade, pois saciar a fome é diferente de alimentar bem. Muitas vezes, você se preocupa tanto com a quantidade que está sendo ingerida e se esquece do valor nutricional que o alimento possui e, se você não se atentar a isso, poderá causar a seu filho muitos problemas de saúde. Creio que nenhum pai quer o mal do filho, certo? Então, segue aí a dica:

 

O mundo da criança é um pouco diferente do nosso de adulto. A criança está descobrindo e se deslumbrando com as cores, formas e a textura das coisas a sua volta. Se colocar na frente de uma criança um belo prato de arroz, feijão e um bom bife, que para você parace maravilhoso e delicioso, você acaba de frustar o apetite de seu filho e, além do mais, nada saudável este prato!

 

Por isso, é importante que o prato de seu filho esteja bastante colorido, sempre!

 

Mas, como incentivar a criança a provar os diversos alimentos colocados no prato?

 

·         É importante lembrar que você é a referência de seu filho. Ele adora imitá-lo, por isso, coma junto com a criança: os mesmos alimentos que colocar no prato dela, coma você também

·         Ofereça o mesmo alimento várias vezes, de formas diferentes: cru, cozido, assado, em pedaços, amassado, ralado, misturado com outro alimento. Use sua criatividade!

·         Não se esqueça de oferecer frutas, verduras e legumes, pois são os alimentos mais ricos em vitaminas e sais minerais, que auxiliam no crescimento e desenvolvimento de seu filho, trazem mais vigor e disposição aos pequenos, além de prevenir graves doenças que podem vir no futuro

·         Se o seu filho não aceita ingerir alguma fruta ou legume, faça um bom suco de frutas e até mesmo misture legume com fruta, se quiser (por exemplo: laranja e beterraba), que, além de ter uma cor que chamará a atenção, será mais fácil a aceitação e consumo;

·         Não deixe a criança comer guloseimas entre uma refeição e outra, principalmente se ela ainda não comeu o que estava no prato da refeição principal

·         Se restou comida no prato, guarde e, mais tarde, quando seu filho sentir fome, ofereça a mesma comida, nada de iogurtes e doces nessa hora. Ensine a dar valor ao alimento que tem

·         Não brigue com seu filho na mesa e, se ele quiser comer alguns alimentos com as mãos, permita, pois, além do incentivo a provar o alimento, a criança trabalhará a coordenação motora

·         Não imponha a seu filho o que ele deve comer. Ofereça todos os alimentos a ele de formas diferentes e deixe que ele mesmo faça sua escolha, sempre indicando o que é mais saudável!

 

Estas são apenas algumas dicas de alimentação para a saúde física de seu filho, mas não se esqueça do mais importante: você, pai, é totalmente dependente do Espirito Santo de Deus, é Ele quem lhe dá as melhores estratégias de como cuidar melhor de seu filho, de como conduzi-lo a Cristo e a obedecer aos Seus mandamentos. Assim, não só a saúde física de seu filho será bem tratada, mas também a saúde espiritual, afinal de contas, nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que procede da boca de Deus...

 

Por Fernanda Paiva

Topo