Proteja o seu coração


“Então... a tua cura brotará apressadamente...” - Is.58:8 

 

Como é bom recebermos uma palavra de cura! Como nos traz alívio, bálsamo para as feridas não tratadas!

Mas por que nos deixamos enfermar tantas vezes? Pois constantemente ouvimos as mesmas queixas a respeito das mesmas feridas e há necessidade de nova cura.

Precisamos tomar uma posição em relação ao tratamento recebido, para que não haja feridas reincidentes. Necessitamos de uma nova postura para conservarmos a cura.

Isaías 58 nos traz uma receita infalível que, se aplicada, nos transforma de pacientes crônicos a canais de cura. O versículo 6 nos ordena a “soltar as ligaduras da impiedade”. Sabemos que a mágoa aprisionada gera rejeição, autocomiseração e várias outras enfermidades emocionais. E a chave para soltar essas ataduras é o perdão, remédio muito recomendado e pouco usado. E só aqueles que fazem uso correto e constante dele conhecem o benefício dos seus efeitos.

Outros tentam usá-lo, mas o confundem com sentimento e dizem: “Eu não sinto”. Mas perdão não é sentimento e, sim, atitude por fé e Deus honrará a fé trazendo o sentimento.

Descobrindo o uso correto do perdão, não espere ser magoado para exercitá-lo. Tome atitude de rejeitar as feridas reincidentes, liberando o seu perdão, mesmo antes que venha a afronta. Com isso estará protegendo o seu coração.

A dose é 70x7 por minuto, pois a qualquer momento você pode sofrer uma afronta. Portanto, a manutenção é tão importante quanto a cura e isso implica não fazer a sua própria vontade nem dizer as suas próprias palavras, mas honrar ao seu Deus, seguindo o seu caminho. “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” Lc. 23.34.

Esse é o caminho do perdão!

 

Teresa Cassab

Topo