Só podemos entender as coisas a partir da nossa própria perspectiva


 

E não lhes falava nada a não ser em parábolas” (Marcos 4:34).

Afinal, o que vemos é o real ou a idéia que fazemos do objeto observado? Quando eu digo: “Nossas casas devem estar cheias de ácaros!”, como será que cada um vê ou projeta em sua mente esses invisíveis seres que amam viver na poeira dos móveis e em cada canto úmido deste planeta? Uns têm em sua mente criaturas estranhas (ao menos em minha mente, estou projetando isso agora!), outros, pequenos seres alados, outros ainda teriam uma enorme interrogação em suas mentes, pois nunca viram sequer em foto as imagens de um ácaro.

Na verdade, nenhum de nós, a olho nu, conseguiria enxergar um ácaro, sequer uma colônia deles! Nosso olhar é demasiadamente limitado para tal! O que podemos perceber são os resultados da ação desses seres. Uns sofreriam com a alergia, outros sentiriam o odor da umidade, e assim todas as sensações não nos trariam à mente a real figura desses seres!

Mas eles estão inseridos no contexto! Estão presentes e atuantes! Qual a sua perspectiva de vida? Como você vê as pessoas? Quando enfrenta crises em seu lar, como enxerga a situação? Será que o que você pensa ser a causa do problema realmente é a causa ou apenas um sintoma? Para combater a alergia, não basta apenas tomar um antialérgico, tem que remover os ácaros! Amplie sua percepção! Deixe que a história de sua vida fale a você o que ela quer falar! Lembre-se disso: o sintoma é apenas um caminho para a raiz do problema, e não o problema!


Pr. Paulo Sérgio Falçarella
Pastor do Ministério da Família

Topo