Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus


 “Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus”. Efésios 5:21

Esta carta do apóstolo Paulo aos Efésios é uma verdadeira joia para todos os que creem em Jesus Cristo! Digo isso porque ela é um manual de vida cristã por excelência, uma vez que oferece instruções bem práticas de como levar uma vida piedosa. E nela encontramos, a partir do verso 21 do capítulo 5, um enfoque muito especial de Paulo em relação à família. O respeitado apóstolo faz um paralelo entre a relação conjugal e a relação entre a igreja e Cristo. Só isto já nos bastaria para entender que há uma forte relação entre a família e a igreja. A família não pode ser uma ilha, que vive sua própria vida em independência e soberania. Apesar de ser a primeira instituição criada por Deus, ela está sujeita ao mesmo Senhor.

Família e Igreja têm como cabeça, o Cristo vivo e soberano, reinando sobre as relações maritais, assim como reina sobre as relações fraternais. O mesmo jugo da igreja é o da família cristã. Não há dois modos de vida. O que se vive na igreja deve-se viver em casa. Não podemos servir a dois senhores, disse Jesus, citado nos evangelhos de Mateus capítulo 6, verso 24 e Lucas capítulo 16, verso 13. Isso é muito importante! Vivemos hoje uma época de mensagens contraditórias. Pessoas professam uma fé na igreja e vivem outra realidade em suas casas. No trabalho, muitos se esquecem que um dia entregaram suas vidas ao Senhor Jesus e seguem fazendo o que bem entendem. Muitos pais denominados cristãos, ao criarem seus filhos em casa, se esquecem de ensinar-lhes O CAMINHO (João 14:6) em que devem andar, e optam pelos métodos seculares e, porque não dizer mundanos.

Muitos questionam o valor da igreja na vida familiar. Outros, fazendo uso de um discurso humanista e politicamente correto, desprezam princípios e valores bíblicos, que são o alicerce para uma vida familiar sadia e harmoniosa. Há muitos casais que estão em crise e pensam que é por causa da falta de dinheiro, da falta de acordo, da vida sexual falida, do estilo de educar os filhos com o que não concorda e, na verdade, é porque está faltando entender esta verdade que o apóstolo Paulo ensina neste texto: que Cristo é o cabeça do lar. Acima do que pensa o marido. Acima dos desejos e anseios da esposa. Acima das necessidades e dos caprichos dos filhos. Jesus é a Palavra. Então Ele sempre deve ter a primazia. Assim como Ele é na igreja o deve ser nos lares.

Agora, como levar para casa estes princípios e valores se não frequentamos a igreja? Se não há um comprometimento da família com a igreja que é a Casa de Deus, a coluna e firmeza da verdade (1Timóteo 3:15)? É na igreja que aprendemos a andar com Deus. É lá que cumprimos o que Paulo ensinou aos Efésios: “Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus”. A igreja é a agência de Deus na terra que promove o discipulado e faz de cada um de nós, pais, maridos, esposas, filhos, a verdadeira família de Deus. Porque ele “nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; e nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade. Para louvor e glória da sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si no Amado.” Efésios 1:4-6. Este é o mistério a que Paulo se refere: o de Cristo com sua igreja. Um relacionamento tão vivo, tão santo, tão maravilhoso que inspira os homens a imitá-lo e a viverem segundo este modelo que promove o amor altruísta, o respeito mútuo, a obediência serena, a paz que tanto se busca. Famílias saudáveis promovem uma sociedade saudável.

Família e Igreja devem andar de mãos dadas. São dois lados da mesma face. Esta é a vida que Deus espera que vivamos.


Pr. Paulo Falçarella

Topo