A paternidade de Deus para com a mãe solteira

 

No relato bíblico, encontramos a primeira situação que caracterizou o abandono de uma mãe e seu filho. Estamos falando do caso de Agar, que era serva de Sara e que foi dada a Abraão para que ele pudesse ter um filho, já que Sara era estéril e não confiou na promessa de Deus de que ela e seu marido teriam um filho (Gn 16. 1-4).

De Agar, veio Ismael, e como nós sabemos, ela e seu filho enfrentaram uma situação muito delicada: foram expulsos da família de Abraão e foi mandada para o deserto. Agar, uma mãe solteira, foi abandonada juntamente com seu filho apenas com um cantil de água e pão (Gn 21. 9-14). Uma situação terrível, não?

Diante dessa história, podemos ver Agar em muitas mulheres grávidas do nosso cotidiano: que são abandonadas por seus pais por estarem esperando um filho e não ter um marido; abandonadas por seus companheiros que não desejam essa gravidez; humilhadas em seu emprego, porque para seus patrões a gravidez será algo que prejudicará o trabalho para a qual ela foi contratada; além disso tudo, recebe palavras que reforçam o estado de abandonado no qual ela se encontra.

Além disso, essa mulher terá muitos questionamentos em sua cabeça, como: “Terei uma boa gestação para o meu filho?”; “Será que o meu filho nascerá saudável?”; “Com quem eu vou deixá-lo para poder ir trabalhar?”; “Quais sãos os direitos trabalhistas que podem me ajudar nessa fase?”; “Como devo cuidar do meu filho nesses primeiros dias?”; “Será que o meu filho sente tudo o que estou sentindo?”; “Como eu vou me sustentar?”, etc.

E seguindo a história de Agar, vemos que Deus não a abandonou e desprezou como os outros. Deus, em sua infinita misericórdia, providenciou para Agar e seu filho o suficiente para que eles pudessem viver de modo digno. Deus providenciou o auxílio nessa fase tão delicada da vida de Agar. Agar e Ismael puderam experimentar a paternidade desse Deus amoroso.

O Projeto a’Mai é uma ferramenta de Deus para abençoar, educar e preparar mães solteiras para serem bem sucedidas nesse tempo onde precisam de acolhimento e amor. Tudo é feito para que elas possam experimentar o amor de Deus através de cada oficina de artesanato, aconselhamento e oração.

Se você quiser conhecer mais e se envolver com o Projeto a’Mai, envie um e-mail para: amai@batistadopovo.org.br

 

Maria Cristina Gregório Nunes – Assistente Social e Voluntária do Projeto aM’ai

 

Topo