Edificação dos salvos

 

Por Mateus 16.13 sabemos que a Igreja foi edificada sobre o Senhor Jesus. Ele é a “Pedra angular” (Mateus 21.42), ou a “Pedra de esquina”, a “Pedra principal” (Lucas 20.17). Pedro mesmo, em Atos 4.11, diz que Jesus é a Pedra e o reitera em I Pedro 2.7. Paulo também afirma que Jesus é a Pedra (Efésios 2.20). Segue-se que a Igreja foi fundada sobre Jesus e não sobre uma religião ou um rito.

                  PRIMEIRO PASSO PARA A EDIFICAÇÃO: MORTE

                  Morte para o mundo e suas paixões. Colossenses 3.3 diz enfaticamente: “morrestes”. O verbo está no pretérito, porque é algo que já está consumado. E quando morreu? No momento em que Cristo entrou em nosso coração “e nos tirou do poder das trevas, e nos transportou para o reino do seu Filho amado” (Colossenses 1.13). Agora, o mundo está morto para nós e nós para o mundo (Gálatas 6.14). Não obstante continuarmos na carne, não pertencemos mais a este mundo (João 17.16). A vida que ainda temos na carne é para termos pela fé: Gálatas 2.20.

                  Morte da natureza terrena. O plano de Deus para o homem é morte para a natureza carnal e terrena. Em Colossenses Paulo diz: “Mortificai pois os vossos membros, que estão sobre a terra. Outra tradução mais recente diz: Exterminai, pois, as vossas inclinações carnais”. E o que isso significa é: “Fazei morrer a vossa natureza carnal”. Para que venha à existência um novo homem, nascido de Jesus pela fé em Cristo, é preciso matar o velho homem com sua natureza terrena propensa ao pecado. E o que deve morrer no velho homem, para dar lugar ao novo?  a) prostituição; b) impureza; c) paixão lasciva; d) desejo maligno; e) avareza, que é idolatria. Avareza é pecado tão grosseiro quanto prostituição e impureza.

                  Morte para as tendências da carne. As tendências da carne são as praticas libidinosas (sexo), pelas quais vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência (Colossenses 3.6). Se vivíamos nessas praticas quando pertencíamos ao mundo, sob a condenação com o diabo, agora somos de Cristo, e estamos no mundo mas não somos do mundo. Portanto, nada temos com tais obras. O versículo 8 diz: “despojai-vos”, isto é, tirai a túnica de pecados nojentos, e alinha os pecados: ira, cólera, malicia, maledicência e palavras torpes, ou seja,  linguagem obscena. Tiremos a ensebada túnica e revistamo-nos da luz ( I João 1.7).

                  SEGUNDO PASSO: REVESTIMENTO DONOVO HOMEM

                  Em Colossenses 3.9, temos que: “Já vos despistes do velho homem com os seus feitos”. Despindo-nos do “velho homem”, é preciso revestir-nos do “novo homem”, este feito à imagem de Deus. É Como se um mendigo vestido de andrajos, se despisse e vestisse de novo com trajes de príncipe. Figuradamente, é isto mesmo o que acontece. Mas a figura ainda é fraca, como toda figura, porque não só o novo homem mudou de vestes, como teve  a sua natureza toda mudada. Não só ele se vestiu de príncipe, mas tornou-se príncipe, como filho e herdeiro de Deus. E herdeiro de Rei é príncipe.

                  O novo homem não só se revestiu da nova natureza, mas ele tem de buscar uma renovação constante. É como o príncipe que sempre se veste como tal, mas renova constantemente o seu guarda-roupa. Assim também o novo homem precisa renovar a sua mente e reformular suas atitudes (Colossenses 3.9 e 10).

                                                                                                                              Deus abençoe!

 

Pr. Enéas Tognini

 

Topo