Fotos IBP

25/11-04/12

Roteiro 25/10 a 04/12

Terceira Fase - O NOSSO MAIOR CLAMOR DIANTE DO NOSSO DEUS: A VIDA DE CRISTO EM NÓS (10 dias)

 

25/11, sexta - FAZER DISCÍPULOS PARA CRISTO

Mateus 28.19,20

Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século"

Estamos familiarizados com os termos "cristão", "crente", "evangélico", mas não estamos igualmente habituados com "discípulo". Pronunciar esta palavra soa como algo antigo, deslocado e localizado num universo particular, distante da realidade atual e cotidiana.

Isso se dá porque as verdades bíblicas ainda não se tornaram nossa cultura. O que é comum para Jesus deve ser comum para nós. O discípulo, seguidor, aluno, aprendiz faz parte da cultura de Deus.

A palavra "discípulo" traz à tona um relacionamento comprometido, abnegado, dedicado entre o aluno e seu mestre, cujo objetivo do aprendiz é tornar-se semelhante ao seu instrutor. Jesus disse: "

O discípulo não está acima do seu mestre; todo aquele, porém, que for bem instruído será como o seu mestre" (Lucas 6.40). Ser discípulo de Jesus é praticar todas as coisas que Ele nos ordenou! A razão da vida de todo cristão é tornar-se semelhante a Cristo!
 

• Clamemos por uma volta ao modelo bíblico de ensino! Haja avivamento em nosso discipulado! Igreja, volte à prática de tudo o que Jesus nos ordenou! Profetizamos a cultura bíblica de relacionamentos!
 

• Clame por um avivamento no ministério do UP

 

26/11, sábado - PERDER A VIDA PARA GANHAR A CRISTO

Mateus 16.24,25

Então, disse Jesus a seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me. Porquanto, quem quisersalvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a vida por minha causa achá-la-á"


A porta é estreita e apertado é o caminho que conduz à vida (Mateus 7.13,14). Nossa conduta autocentrada e independente recebe a mais profunda libertação quando toma a cruz. A cruz é a escolha deliberada da vontade de Deus em detrimento da nossa própria vontade. Tomar a cruz é andar no caminho que trata com o nosso ego, nosso eu. A cruz é o caminho da humilhação, do esvaziamento, da rendição, do quebrantamento. Seguir Jesus é insuportável para quem é orgulhoso.


Lucas 14.33 Renunciar significa separar, apartar. O discípulo de Jesus vive separado do que possui. Não quer dizer que não devamos ter as coisas, e sim que estas coisas não possuam nossas vidas. O único apego é ao Senhor, o Deus de todo o bem! Ele é o nosso tesouro, nossa herança e nossa porção! Nada e ninguém tem qualidade e autoridade para ter valor em si mesmo (porque depende do valor que é dado), mas somente o Senhor Jesus é precioso em Si mesmo. Por isso, o apóstolo Paulo considera tudo o que alcançou como perda para ganhar a Cristo (Filipenses 3.7,8).


• Clamemos por uma igreja constrangida pelo Espírito para seguir ao Senhor conforme o modo do Senhor! Uma igreja que não é dominada pelos bens, cujo senhorio é só o de Cristo!
 

• Clame por um avivamento no ministério Viver Bem


27/11, domingo - O SENHOR JESUS REVELADO A NÓS

Mateus 16.17

Então, Jesus lhe afirmou: Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus"


O Senhor Jesus não é uma pessoa de fácil e superficial entendimento. A mentalidade grega não acessa quem Jesus é. Para lidarmos com este campo de conhecimento, a Palavra tem um modo próprio de operar. Veja: 2 Coríntios 5.16 "e, se antes conhecemos Cristo segundo a carne, já agora não o conhecemos deste modo"; Efésios 1.17 "para que o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele"; Mateus 11.27 "Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar".


A vida dos discípulos foi profundamente transformada depois do Senhor Jesus ser revelado a eles (Gálatas 1.16). A revelação é a experiência de ter os olhos do coração iluminados (Efésios 1.18). É como se estivéssemos vendo o entendimento, e não somente ouvindo ou lendo. A vida do Senhor se torna pessoal e viva para nós. Lucas 24.30,31 "E aconteceu que, quando estavam à mesa, tomando ele o pão, abençoou-o e, tendo-o partido, lhes deu; então, se lhes abriram os olhos, e o reconheceram"


• Clamemos por uma igreja que conheça o Senhor não só de ouvir falar, mas porque os olhos viram!
 

• Clame por um avivamento na IBP Diadema!


28/11, segunda - A PREEXISTÊNCIA DE CRISTO

Colossenses 1.17

Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste"


O Senhor Jesus não pode se limitar à cidade de Belém. Ele não começou Sua vida a partir do ventre de Maria. Jesus Cristo, o Filho de Deus, entrou neste mundo, pois já existia antes de todas as coisas. Foi exatamente isto que escandalizou os judeus. João 8.58: "Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade eu vos digo: antes que Abraão existisse, EU SOU"

. A identificação da igreja com esta verdade: Jeremias 1.5 "Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci, e, antes que saísses da madre, te consagrei, e te constituí profeta às nações";


Efésios 1.4,5 "assim como nos escolheu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o bom prazer de sua vontade"; João 17.16 "Eles não são do mundo, como também eu não sou"


Não somos do acaso nem deste mundo, porque a nossa real identidade é Cristo! Nascemos como pessoas desejadas, planejadas, e isto muda tudo em nossa existência!


• Clamemos por uma igreja que viva segundo os propósitos já estabelecidos por Deus!
 

• Clamemos para que as nossas vidas se alinhem ao que nosso Deus já designou! Não somos do acaso, somos de cima e vivemos de Deus, por Deus e para Deus!
 

• Clame por um avivamento na IBP Grajaú!


29/11, terça - A ENCARNAÇÃO DO VERBO

1 João 1.1

O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos próprios olhos, o que contemplamos, e as  nossas mãos apalparam, com respeito ao Verbo da vida"


O apóstolo João está testemunhando que as suas mãos apalparam o Verbo da Vida. Ele tocou na Palavra! Isto é extraordinariamente magnífico, fascinante, impensável, inconcebível em nossa mente limitada! João abraçou o Logos! Imagine o apóstolo segurando nas mãos do Verbo, tocando nos ombros da Palavra! A Verdade não é uma ideia, um conceito, um princípio, uma lei, uma doutrina. A Verdade tem nariz e boca! A Verdade é uma Pessoa! "O Verbo se fez carne e habitou entre nós".


A identificação da igreja com esta verdade: 2 Coríntios 3.3 "estando já manifestos como carta de Cristo, produzida pelo nosso ministério, escrita não com tinta, mas pelo Espírito do Deus vivente, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, nos corações"

. A maior benção na pedagogia é quando o ensino é encarnado na vida do aluno. A palavra se faz carne em nós pela ministração do Espírito Santo! Jesus Cristo é verdade ambulante, e nós, por causa de Sua Vida em nosso coração, também somos "cartas vivas"! E tem mais: Filipenses 2.5 "Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus"

. Deus se fez carne pelo esvaziamento de si mesmo e por humilhar-se a si mesmo, e nós devemos ter o mesmo sentimento d'Ele. A palavra deve acontecer em ação e em verdade (1 João 3.18). Encarnar-se é tomar o lugar do outro!


• Clamemos por uma igreja que viva o que prega e canta! A Palavra de Deus seja encarnada nos membros desta igreja! IBP, uma carta viva para esta cidade! Uma igreja que se esvazia e se humilha para vivenciar a condição dos outros!
 

• Clame por um avivamento na IBP Indaiatuba!


30/11, quarta - A PESSOA DE CRISTO

Colossenses 1.15

Este é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação"


O Senhor Jesus é o resplendor da Glória de Deus, a expressão exata do Seu ser (Hebreus 11.3), de tal forma que todo aquele que O vê, está vendo o Pai (João 14.9). "Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou" (João 1.18). Por isso, o Pai era quem falava as Suas palavras e realizava as Suas obras através do Filho (João 14.10). Logo, o Senhor Jesus Cristo não somente fazia o que o Pai fazia, como também Ele é quem o Pai é.

A identificação da igreja com esta verdade: Romanos 8.29 "Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos"

. Conformação é diferente de imitação. Quando o Verbo se fez carne, o amor se fez uma Pessoa, a verdade se fez uma Pessoa, a paz se fez uma Pessoa. A transformação não virá simplesmente pela imitação, pois imitar é fazer o que outro faz (e não conseguimos fazer o que Jesus fez).

Mas virá pela conformação, pois conformar é ser quem o outro é. Conformar-se à imagem é ter comunhão com este amor, com esta verdade e com esta paz! A nossa imagem será transformada na mesma imagem de Cristo pelo Espírito (2 Coríntios 3.18)!


• Clamemos para que Cristo seja formado na IBP! Todas as coisas cooperem para que nos tornemos semelhantes a Cristo!
 

• Clame por um avivamento na IBP em Oxford!

 

01/12, quinta - O MINISTÉRIO DE CRISTO

Lucas 4.18,19

O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor"


Basicamente, o ministério do Senhor Jesus foi caracterizado pela pregação do evangelho do reino, libertação dos oprimidos e cura dos enfermos (Mateus 4.23; Atos 10.38). A marca central de Seu ministério era a irrestrita dependência do Pai. João 5.19: "Então, lhes falou Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que o Filho nada pode fazer de si mesmo, senão somente aquilo que vir fazer o Pai; porque tudo o que este fizer, o Filho também semelhantemente o faz".

A identificação da igreja com esta verdade: João 20.21 "Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco! Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio"

. Há um padrão para nosso ministério: seguir o mesmo modelo do relacionamento entre o Filho e o Pai.

Assim como Jesus não podia fazer nada d'Ele mesmo, nós também não podemos: João 15.4,5 "permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer"

. O Filho glorificou o Pai, e nós glorificamos o Filho!


• Clamemos por uma igreja que ande nas mesmas pegadas do Senhor! Uma igreja que proclame o Evangelho do Reino, liberte os cativos, cure os enfermos! As obras e as palavras do Filho sejam as mesmas desta igreja!
 

• Clame por um avivamento na IBP Santo Amaro!

 

02/12, sexta - A MORTE DE CRISTO

Isaías 53.4,5

Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados"


A morte de Cristo é o centro da mensagem apostólica: 1 Coríntios 2.2  "Porque decidi nada saber entre vós, senão a Jesus Cristo e este crucificado"

. Temos a libertação dos pecados (Efésios 1.7); a justificação (Romanos 3.24,25); a reconciliação com Deus (Colossenses 1.20); a libertação da maldição da lei (Gálatas 3.13); acesso ao santo dos santos (Hebreus 10.19). Pela morte do Cordeiro, temos a redenção! Redimir significa pagar o preço por um resgate e comprar de volta. Estávamos "vendidos à escravidão do pecado" (Romanos 7.14), e, pelo sangue de Jesus, fomos comprados de volta!

A identificação da igreja com esta verdade: Romanos 6.4-6 "Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo... Porque, se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da sua ressurreição, sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem"

. Cristo não somente morreu por nós, como também nós morremos com Ele! Enquanto "por nós" significa substituição, "com Ele" significa comunhão (Filipenses 3.10), "conformando-me a ele na sua morte". Por isto, devemos nos considerar mortos para o pecado e vivos para Deus (Romanos 6.11). Afinal, se um morreu por todos, logo todos morreram (2 Coríntios 5.14)!


• Clamemos por uma igreja crucificada com Cristo! Uma igreja que não viva mais para si, mas somente para Aquele que por ela morreu, onde o pecado não tenha mais domínio!
 

• Clame por um avivamento na IBP em São Bento (PB)!

 

03/12, sábado - A RESSURREIÇÃO DE CRISTO

Atos 2.31,32

prevendo isto, referiu-se à ressurreição de Cristo, que nem foi deixado na morte, nem o seu corpo experimentou corrupção. A este Jesus Deusressuscitou, do que todos nós somos testemunhas"


A ressurreição do Senhor Jesus é o sinal de que a vida não se limita a esta existência terrena, precária e finita (1 Coríntios 15.19). É a esperança da ressurreição daqueles que dormiram em Cristo (1 Coríntios 15.20,23). É a certeza de que haverá um corpo incorruptível, glorioso, poderoso e espiritual (1 Coríntios 15.42-44). É a vitória sobre a morte (1 Coríntios 15.54,55). É o que faz toda obra valer a pena (1 Coríntios 15.58)!


A identificação da igreja com esta verdade: Romanos 6.5 "Porque, se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da sua ressurreição", E mais: 1 Coríntios 6.14 "Deus ressuscitou o Senhor e também nos ressuscitará a nós pelo seu poder"; 2 Coríntios 4.14"sabendo que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus também nos ressuscitará com Jesus e nos apresentará convosco"

. E aqui está o texto que revela a mais profunda comunhão: Efésios 2.6 "e, juntamente com ele, nos ressuscitou".

Não somente ressuscitaremos porque Ele ressuscitou, mas já ressuscitamos quando Ele ressuscitou! Temos uma vida ressurrecta! Por causa disto, devemos buscar as coisas que são de cima, onde Cristo está (Colossenses 3.1)!


• Clamemos por uma igreja que ande em novidade de vida! Uma igreja que busque e pense nas coisas que são do alto! Cada reunião seja o culto do Deus vivo!
 

• Clame por um avivamento na IBP em Taboão!

 

04/12, domingo - A GLORIFICAÇÃO DE CRISTO

Atos 2.33-36

Exaltado, pois, à destra de Deus, tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vedes e ouvis. Porque Davi não subiu aos céus, mas ele mesmo declara: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos por estrado dos teus pés. Esteja absolutamente certa, pois, toda a casa de Israel de que a este Jesus, que vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo"


O Pai glorificou Seu Filho quando O exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que está sobre todo nome (Filipenses 2.9). Na descrição de 1 Timóteo 3.16: "Evidentemente, grande é o mistério da piedade: Aquele que foi manifestado na carne foi justificado em espírito, contemplado por anjos, pregado entre os gentios, crido no mundo, recebido na glória"

. A glorificação de Jesus manifesta a autoridade eterna do Filho (João 17.5).

A identificação da igreja com esta verdade: Efésios 2.6 "e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus";

Romanos 8.30 "E aos que predestinou, a esses também chamou; e aos que chamou, a esses também justificou; e aos que justificou, a esses também glorificou".

A igreja, em Cristo, está assentada na mais alta posição de autoridade, muito acima de principados e potestades. O Espírito Santo - que foi dado depois da glorificação de Jesus (João 7.39) - está na igreja para revelar e operar este nível de autoridade: João 16.14 "Ele (o Espírito Santo) me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar"

. O sinal da exaltação do Filho (e da igreja com Ele) é o ministério do Espírito entre nós!


• Clamemos para que nesta igreja estejam presentes as marcas da glorificação de Cristo: o poder, a riqueza, a sabedoria, a força, a honra, a glória, o louvor e o domínio! A IBP ande como uma igreja assentada nos lugares celestiais!
 

• Clame por um avivamento na IBP em Taubaté!